Meu amigo substitui o psicólogo?

12 maio, 2016




Primeiramente, gostaria de agradecer a participação de vocês, recebi várias perguntas inbox no facebook, estou imensamente feliz com a repercussão e vou tentar atender todos os pedidos.

Escolhi uma pergunta bem comum que recebo sempre, para iniciar nossa categoria de 'Pergunte ao Psicólogo':


Quem tem amigos para ouvi-lo não precisa de psicólogo?

Já fiquei muito surpresa com esse tipo de questionamento e ouço algumas pessoas e até outros  profissionais da área da saúde falarem que 'quando precisam são psicólogos também.'

Eu fico tentando entender verdadeiramente o que elas querem dizer com esse tipo de comentário, porque o fato de você parar para ouvir alguém ou dar conselhos, não tem nada haver com o fato de você ser psicólogo. E eu chego a duvidar do profissional que tem esse hábito, pois sei que um bom profissional, seja ele de qual área for, sabe muito bem a diferença e significado do fazer de um psicólogo.

Em contrapartida, ter amigos é muito bom e necessário, mas existem situações em que, por diversos motivos, principalmente por gostar de você, por estar envolvido na sua vida, em que a amizade, o desabafo, não irá passar de uma conversa cheia de conselhos e palavras de conforto:

- que os problemas não são tão ruins;

- que você tem condição de se superar;

- que a vida é assim mesmo... enfim.


Não que seja ruim, em vários momentos precisamos de um ombro amigo, de palavras que queiramos escutar, mas não passará disso. Portanto, o problema voltará a persistir.

Nesse sentido, o fazer do psicólogo vai muito além e precisará de intervenções técnicas mediante tais situações, uma vez que não estará envolvido na sua história, ele não terá o compromisso de passar a mão na cabeça e sim de levá-lo ao autoconhecimento.

Ao invés de tampar a ferida, ele irá mexer nela, afim de limpar para cicatrizar, é a famosa expressão: "cutucar a ferida" com intuito de limpar para melhorar da melhor maneira.

E assim, junto com o cliente, refletem sobre qual será o melhor caminho a seguir naquele momento e o que precisará fazer.

Não existem respostas prontas e sim perguntas para que a própria pessoa vá descobrindo a sua direção. Mas é claro, para isso é necessário que o cliente queira e esteja disponível a mudar.

Espero ter respondido com clareza a pergunta. Caso ainda tenham dúvidas, deixe seu comentário abaixo que tentarei lhe responder.


____________________________________________________________________________________


Você também tem dúvidas que envolvem a psicologia?
Quer perguntar?
Mande pra gente nos comentários, inbox no facebook ou por email: nandalmeidacavalcanti@yahoo.com.br

Será um prazer responder.

Abraços!
Fernanda Cavalcanti



                     Cadastre seu e-mail do lado direito da página e receba as novas postagens.


Comentários
0 Comentários

Comentários:

Postar um comentário



 

Fernanda Cavalcanti © Copyright - 2012. Todos os direitos reservados. Layout criado por Gabi Layouts