A CRIANÇA QUE VIVE DENTRO DE NÓS

06 abril, 2017

A nossa convidada especial é Adriana Freitas, Psicoterapeuta Sistêmica em Belo Horizonte. Grande profissional que vem nos acrescentar com seus conhecimentos sobre "A criança interior" . Gratidão pela contribuição de hoje e de sempre!

***     ***

"Fiquei muito feliz ao receber o convite da Fernanda Cavalcanti para escrever este texto para seu blog. O tema abordado, “A Criança Interior”, está ligado ao workshop clínico vivencial que venho realizando nos últimos dois anos em Belo Horizonte, Montes Claros e Divinópolis, e que tem ajudado muitas pessoas a compreenderem e acolherem a criança que foram um dia.
A psicologia da Criança Interior tem uma força muito significativa na vida adulta, mas poucas pessoas sabem disso e como funciona essa influência.  
O que chamamos de Criança Interior ou Criança Interna Ferida, são as memórias infantis, especialmente dos sentimentos não elaborados das vivências afetivas (ou não afetivas) da infância.
Quando crianças, nós não temos nossas funções cognitivas totalmente desenvolvidas, elas estão em construção. Percebemos o mundo através dos sentimentos e da linguagem corporal das relações.
Então, nem sempre conseguimos elaborar racionalmente os sentimentos que vivemos, especialmente os mais difíceis e ruins. Esses sentimentos não elaborados causarão uma ferida na criança que fomos, e se a dor for muito grande, tentaremos fugir ou negar esses sentimentos para sobreviver.
O problema é que essas estratégias de defesa (fugir e negar) são apenas paliativas, não resolvendo a dor das experiências infantis. Essa dor não elaborada irá aparecer na vida adulta quando reagimos de forma exagerada em situações nas quais normalmente não reagiríamos assim.
É como se o sentimento do passado se unisse ao sentimento do presente e causasse um tipo de explosão emocional. Nesses casos o indivíduo perde o controle de suas emoções e age de forma impulsiva, às vezes agressiva, e/ou descontrolada.
Em outras palavras, a criança interior ferida assume o controle da psique do adulto, fazendo com que ele tenha atitudes infantis e completamente emocionais diante da vida.
Além da fuga e da negação, o adulto também recorre às compulsões para aliviar a dor infantil. Álcool, drogas, trabalho, sexo, comida, compras, etc., são consumidos de forma abusiva numa tentativa de aplacar um sentimento desconhecido, mas extremamente perturbador.
A estratégia mais capaz de aliviar a dor infantil é o enfrentamento. Encarar as mágoas, os ressentimentos, as tristezas, as raivas e toda sorte de sentimentos do passado. Na nossa fantasia esse enfrentamento é muito difícil. Ficar face a face com nossos demônios realmente não é fácil. Mas é preciso enxergar para poder acolher.
Nossa criança interior pede arrego, pede colo, pede carinho e amor. Ela precisa ser vista para ser atendida, mesmo que tenhamos que enfrentar a dor que ela sentiu.
O trabalho de acolhimento da criança interior não busca culpabilizar ninguém do passado. A ferida da nossa criança pode ter sido construída em relacionamentos com pais agressivos ou negligentes, mas também com pais bem intencionados, porém imaturos ou simplesmente humanos, que falharam em oferecer um amor maduro para os filhos.
O pior problema decorrente das feridas infantis é quando aprendemos e repetimos esse tratamento ruim e pouco ou nada afetivo conosco. Somos autoexigentes, críticos, julgadores, martirizadores, enfim, somos os piores carrascos de nós mesmos.
Precisamos aprender a cuidar de nós mesmos e a construir uma relação mais afetiva e amorosa com nossa criança interior para que ela possa liberar seus recursos positivos, que são a criatividade, a espontaneidade e a alegria."

Adriana Freitas – Psicoterapeuta Sistêmica em BH



Esquerda: Adriana Freitas
Direita: Fernanda Cavalcanti

____________________________________________________________________________


Notas:
     1. Principais meios de contatos: 
         Adriana Freitas - CRP 20.456 - 4° região

          Escritora do blog: solteirosecasais.com.br
          Psicóloga (FUNEDI/UEMG)
          Especialista em Atendimento Sistêmico a Família (IEC PUC MG)
          Formada em Terapia Familiar e de Casal (Holon Espaço Dinâmico, BH-MG)
          Coordenadora do workshop “Acolhendo a Criança Interior”

          E-mail: adrianafreitas79@gmail.com
          Telefone: (31) 3017-7785




         Cadastre seu e-mail do lado direito da página e receba as novas postagens.


Comentários
0 Comentários

Comentários:

Postar um comentário



 

Fernanda Cavalcanti © Copyright - 2012. Todos os direitos reservados. Layout criado por Gabi Layouts